Driving research of Myalgic Encephalomyelitis / Chronic Fatigue Syndrome (ME / CFS),
Post Treatment Lyme Disease Syndrome (PTLDS), Fibromyalgia and Long Covid

O que as células B e as células T fazem e por que elas são importantes para as pesquisas em EM/CFS?

Nesta quarta-feira da ciência – #OMFScienceWednesday, falamos de dois tipos de células do nosso sistema imunológico que foram de interesse especial nas pesquisas recentes em EM/SFC: Células T e células B.

Estes dois tipos de células são importantes para nos defender contra infecções, no entanto elas agem de maneiras diferentes:

  • As células B (linfócitos B) produzem anticorpos para ‘capturar’ germes invasores. Às vezes elas produzem autoanticorpos que equivocadamente atacam nossos próprios tecidos, e alguns estudos sugerem que isso ocorre em EM/SFC. A droga Rituximab que, acredita-se, age exaurindo as células B, foi testada em pacientes na esperança de inibir a hiperatividade de células B (vejam a postagem da semana passada para mais detalhes)
  • As células T (linfócitos T) usam outros métodos, que incluem a sinalização via produção de citocinas. Um subconjunto conhecido como ‘killer T cells’ ataca diretamente e elimina células infectadas. Fiquem ligados nas próximas postagens que mostrarão as pesquisas que estamos financiando sobre células T no Centro Colaborativo de Pesquisas em EM/SFC da Universidade de Stanford!!

Leiam mais sobre o que torna as células T e células B especiais: http://whoami.sciencemuseum.org.uk/

A OMF agradece esta tradução para o português à Claudia Musso.