Donate
Open Medicine Foundation®
Leading research. Delivering hope.
ME/CFS and related chronic complex diseases

Pesquisa financiada pela OMF: Entendendo linfócitos T e imunologia molecular

Translations: csČeština nlNederlands enEnglish frFrançais deDeutsch itItaliano noNorsk bokmål esEspañol svSvenska

Esta é mais uma quarta da ciência –  #OMFScienceWednesday! Nas próximas semanas, nós descreveremos os projetos de pe­­squisa que a OMF está financiando em todo o mundo. O primeiro projeto é sobre linfócitos T (células T) e imunologia molecular em EM/SFC, desenvolvido no Centro Colaborativo de Pesquisas em EM/SFC da Universidade de Stanford sob a direç­­ão do Dr. Ron Davis. Este projeto está sendo realizado em colaboração com os professores da universidade de Stanford Dr. Mark Davis, um especialista em imunologia, e Dr. Lars Steinmetz, um especialista em genética e em expressão genética. Estamos com esperança de que este projeto nos dê um novo nível de entendimento sobre a base imunológica da EM/SFC.

Muitos estudos destacaram problemas com o sistema imunológico em EM/SFC, desde citocinas alteradas até células NK com funções diminuídas. Recentemente, a equipe do Dr. Mark Davis descobriu evidências de expansão clonal de linfócitos T em pacientes com EM/SFC – o que quer dizer que os linfócitos T killer, responsáveis por eliminar células infectadas, estão fazendo cópias de si mesmos. Expansão ocorre quando há uma infecção ativa sendo combatida pelo sistema imunológico, mas também pode ocorrer na autoimunidade, quando o sistema imunológico ataca equivocadamente as células do próprio corpo.  A equipe do Dr. Steinmetz desenvolveu novas tecnologias para sequenciar linfócitos T e medir sua expressão genética. Compreender o comportamento destes linfócitos T expandidos e qual o seu alvo nos ajudará a compreender melhor – e a tratar, esperamos – a EM/SFC. Por exemplo, é possível que os linfócitos T de alguns pacientes estejam reagindo a uma infecção microbiana, mas que outros pacientes tenham verdadeiramente uma doença autoimune – o que leva a tratamentos distintos via antimicrobianos ou imunomoduladores.

Para explorar estas possibilidades, este projeto tem neste ano os seguintes objetivos, em um grupo de 25 pacientes com EM/SFC:

  1. Capturar e sequenciar linfócitos T individuais utilizando estas novas tecnologias que identificam linfócitos T de expansão clonal e medir a expressão de milhares de genes, para entender a sua função na EM/SFC. Estas tecnologias foram utilizadas de forma pioneira em pacientes de tuberculose e a equipe está agora trabalhando duro para otimizá-las para amostras de pacientes com EM/SFC.
  2. Sequenciar genes chave relacionados à imunidade: HLA e KIR. Estes genes – cujas variantes são associadas à risco de doenças infecciosas e autoimunes – são muito difíceis de sequenciar com métodos tradicionais, por isso o Dr. Ron Davis e seus colaboradores desenvolveram métodos melhores! Aplicá-los aqui poderá ajudar a interpretar os outros dados imunológicos deste projeto.
  3. Identificar o alvo dos linfócitos T expandidos. Estes alvos podem ser infecciosos ou autoimunes, e como descrito acima, identificá-los irá revelar conhecimentos importantes sobre a EM/SFC e seus efeitos no sistema imunológico dos pacientes.

Leiam a postagem da semana passada para entender mais sobre o papel dos linfócitos T no sistema imunológico.

Vejam neste vídeo como os linfócitos T patrulham o corpo a procura de ameaças, dentre elas células cancerígenas ou infectadas: https://www.youtube.com/watch?v=jgJKaP0Sj5U.

A OMF agradece esta tradução para o português à Claudia Musso.

 

Stay Informed

Be the first to hear our research news.

Subscribe Now.

No thanks