Open Medicine Foundation®
Leading research. Delivering hope.
ME/CFS and related chronic complex diseases

Meet Julie Wilhelmy, ME/CFS Collaborative Research Center at Stanford Team Member

Translations: nlNederlands enEnglish frFrançais deDeutsch itItaliano noNorsk bokmål esEspañol

Nesta quarta da ciência #OMFScienceWednesday, nós queremos apresentar uma de nossas pesquisadoras, muito talentosa e dedicada, cujo trabalho a OMF financia graças ao seu apoio. Nós convidamos Julie Wilhelmy, da equipe do Centro Colaborativo de Pesquisas em ME/CFS da Universidade de Stanford, para compartilhar sua história e seu papel no Centro de Tecnologia Genômica da Universidade de Stanford. Julie escreveu:

Julie Wilhelmy, SGTC

“Recém-formada na Washington University em St. Louis, eu comecei a trabalhar em Stanford em 1999 com o Dr. Ron Davis, sequenciando DNA para o Projeto Genoma Humano. Depois do término do projeto em 2003, eu comecei a participar doInflammation and Host Response to Injury Program’ (http://www.gluegrant.org/) estudando os efeitos da inflamação sistêmica grave em casos de trauma, a partir do exame dos níveis de expressão gênica de vários tipos de células do sistema imunológico em diversos momentos após o trauma.

Em colaboração com o Dr. Mark Davis, o nosso grupo decidiu focar os estudos nos genes do Antígeno Leucocitário Humano (Human Leukocyte Antigen – HLA). Como esta região do genoma é muito variável e os produtos destes genes são um fator majoritário na resposta humana à infecção e na autoimunidade, tornou-se evidente que a obtenção destas informações de pacientes com doenças relacionadas à imunidade seria de muito valor. Por esta razão, nós desenvolvemos um método de alto fluxo para determinar a sequência destes genes em muitos indivíduos. (http://www.pnas.org/content/109/22/8676). Em 2012, eu saí de Stanford para trabalhar na indústria, ajudando a fundar uma empresa,  a Cellular Research Inc., especializada na contagem de moléculas para estudos de expressão gênica.

Em 2016, eu voltei para Stanford para trabalhar no estudo dos pacientes ME/CFS gravemente acometidos (SIPS), coletando dados para analisar os padrões de expressão gênica nestes pacientes. Eu também entrei no laboratório de imunologia do Dr. Mark Davis para desenvolver um processo de alto fluxo para a análise de receptores dos linfócitos T e expressão gênica de células individuais. Este processo ajuda na pesquisa de diversas doenças. Devido ao surgimento crescente de evidências do vínculo entre ME/CFS e a imunologia, nós decidimos usar este processo para examinar o perfil dos receptores dos linfócitos T nos nossos pacientes com ME/CFS. Além disto, nós planejamos incorporar o sequenciamento HLA destes mesmos pacientes para obter uma visão ampla da resposta imune da ME/CFS.

Eu estou envolvida em vários outros projetos junto ao grupo ME/CFS, incluindo o Projeto da Armadilha Metabólica com o Dr. Robert Phair, e o trabalho de Mohsen Nemat-Gorgani e Amit Saha com hemácias. Também trabalho com Layla Cervantes para explorar o metabolismo energético das células do sistema imunológico de pacientes com ME/CFS, usando o instrumento Seahorse. Nós duas auxiliamos o desenvolvimento da plataforma Nanoagulha com Rahim Esfandyarpour e Alex Kashi, fornecendo células saudáveis e de pacientes para testes no instrumento, assim como experimentos para esclarecer melhor os nossos achados sobre o aumento de impedância após estresse salino nas células de pacientes com ME/CFS.

Eu gostaria de aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos os pacientes que doaram amostras de sangue ao nosso laboratório, o que nos permitiu aplicar nossas metodologias para estudar as diferenças entre pacientes e controles saudáveis. Agradecemos especialmente aos que doaram diversas vezes, o que nos ajudou no desenvolvimento das nossas metodologias e ferramentas. Esses recursos têm sido essenciais para agilizar o nosso progresso e nós somos realmente gratos ao apoio que temos recebido da comunidade de pacientes.

Eu nunca havia tido a oportunidade de trabalhar tão próxima às pessoas acometidas pela doença que estou estudando e isso tem sido uma experiência reveladora. Nunca me esquecerei das muitas amizades que fiz nestes últimos dois anos. Muito obrigada novamente!”

Obrigado, Julie, por sua dedicação e por nos oferecer este olhar dos bastidores.

Este artigo também está disponível no nosso website: http://bit.ly/2OhTEdV

A OMF agradece a Claudia Musso esta tradução para português.